quarta-feira, 7 de abril de 2010

Algo escrito em um tempo agora já bem distante...

Ando.
Um passo, outro passo
leves, todos, quase um toque dos pés
na movediça estrada.
Mas meu coração explode
e se espalha por todas as artérias
e se encolhe em cada inspirar
e a cada segundo eu inspiro esse vento
que como eu segue em frente
para trás
para os lados
O que importa?
só que vai...
Ir
sem parar
sem limites
e vou
e ando.
Sinto meu coração ocupar o espaço
mas ele se contrái.
Tudo pulsa, todo espaço.
Coisa demais pra pulsar.
Não cabe tudo, não pode caber.
Mas sim, você é o espaço, meu coração.
É tudo.
Tudo que o vento alcança.
O vento bate em meu rosto.
E continuo a andar
ando
e ando.

4 comentários:

  1. ai Tamara, que linduu! Muito intensa a imagem de pulsação. Tudo pulsa, o coração vai ocupando o espaço mas se contrai, o espaço pulsa, como se eles estivessem se comunicando. e são coisa só.

    poste mais!

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!
    Te achei por aqui e resolvi add...
    Ótimos textos!
    Adorei essa imagem do coração, do andar... Me parece que tudo funciona pq o coração pulsa... De fato, o que existe p/ mim só existe pq estou viva e posso ver, sentir...
    Iiiih... Já to viajando, né!?
    O que importa é que é ótimo!
    Voltarei mais vezes aqui...
    Beijooos

    ResponderExcluir
  3. Bonita publicação.
    Bastante poética e pessoal mas nós conseguimos nos identificar com a sua experiência.
    Parece que faltam palavras para descrever o sentimento mas, ao ler, o nosso coração parece conseguir preencher esse vazio.
    Todos vivemos alguma situação que sentimos algum sentimento parecido.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a musicalidade! De verdade! Muito bom, Tamara!

    ResponderExcluir